sábado, 29 de agosto de 2015

"Pela longa estrada eu vou, estrada eu sou..."

Dia 29 de agosto de 2015.






A vida não castiga! Ela apenas ensina!

Depois de tanto apanhar, levarei para minha vida a vontade de vencer, portanto buscarei desatar os grilhões que me impedem de seguir! 
Não quero jamais perder a sensibilidade, a capacidade de me emocionar, a vontade de envolver-me.

Mas, quero, antes de AMAR um outro alguém, AMAR primeiro a mim mesma! Por conseguinte, a partir de hoje -29 de agosto de 2015-, me colocarei sempre em primeiro lugar! Quero prometer-me que: NINGUÉM JAMAIS ME FARÁ CHORAR! NÃO MAIS DERRAMAREI LÁGRIMA ALGUMA POR QUEM QUER QUE SEJA!

Uma amiga disse-me que relacionamentos, seja ele qual for, são como jogos de baralho. E, assim como em um jogo, se as cartas forem reveladas no momento errado os jogadores estarão fadados a derrocada.

Chega de dar cartas em excesso, chega de confiar-me a quem não merece confiança!

Se as pessoas gostam de jogar.... QUE O JOGO COMECE! 





sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Não poderia me abster de comentar...



Certa vez escutei que somente compartilhar um conteúdo não significa esboçar uma opinião sobre o que foi replicado. Sendo assim, não posso me abster de comentar um assunto tão presente na atualidade, um assunto TÃO VIGENTE - LATENTE - EM MIM!!!

Confesso que chorei ao ver este vídeo... chorei pela empatia, chorei pela intolerância, chorei pelo preconceito... CHOREI PELA BELEZA E SIMPLICIDADE DO AMOR!!!

Oxi... o que é o AMOR?
- é ALGO bom!
PURO e COMPREENSÍVEL!
INCOMPREENSÍVEIS são as pessoas!

AMAR é bom...
não é cansativo ou pesado!
AMAR é simplesmente se dar!
sem ter o que receber!

MAS não receber nada dói...
É incompreensível!
é desesperador...
AMEDRONTADOR!

OXI, ENTÃO O QUE É O AMOR?

Priscylla Veli Martinato


domingo, 23 de agosto de 2015

É preciso saber ouvir a verdade...


porque por mais dolorida que seja a verdade: ELA TE ABRE OS OLHOS!


;-]]]]

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

DANÇAR É?



Sou uma apaixonada por sons...

Músicas que embalam danças, e
embalam não apenas formas de expressões corporais...
(assista o vídeo, espetacular)




embalam parceiros,
embalam amantes,
embalam amores!

Dançar é mais que sentir,
É conhecer o seu próprio corpo.
é conhecer o seu parceiro...
é a ele confiar os seus passos.

Dançar é não ter medo de se jogar...
se jogar nos braços de alguém...
no ritmo de quem te conduz.
É DEIXAR-SE SEDUZIR!

Dançar é cumplicidade!
É equilíbrio!
É manter-se viril¹. 
FORTE, RIJO, A ESPERA DO PRÓXIMO PASSO.

Dançar é tentação!
É SENTIR-SE PERSUADIDO, e
 PERSUADIR AO MESMO TEMPO.

DANÇAR:
 É a entrega, sem reservas, entre parceiros.



¹.VIRIL: Culturalmente o esterótipo de virilidade está relacionado com o comportamento do individuo do sexo masculino, CONTUDO, eu emprego tal adjetivo, somente, para simbolizar força, postura, rigidez, pois não concordo que A VIRILIDADE deve ser imputada apenas ao sexo masculino.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Aos AMANTES da CULINÁRIA JAPONESA...



Bon Odori – 12ª Edição do Festival da Comunidade Japonesa em Goiânia




 O Festival, organizado pela Associação Nipo-Brasileira de Goiás, acontece no Clube KaiKan no dias 22 (sexta) e 23 (sábado) de Agosto de 2014, a partir das 19h30.
Neste ano, além das tradicionais apresentações que já se tornaram marca registrada do evento, teremos também a apresentação do grupo Kyoushin Daiko de Goiânia, pioneiros na cidade das apresentações de taikô, o milenar tambor japonês de batida forte e pausada.
O momento de destaque do festival acontece com as danças japonesas, no qual todos convidados podem dançar as tradicionais músicas utilizando seus adereços, e também pelo Matsuri Dance que animará o festival com um estilo pop de dança e música japonesa, misturando movimentos tradicionais com modernos.
Durante o evento, é possível apreciar os pratos mais conhecidos por aqui, como sushi, sashimi, yakisoba, tempurá, udon, guioza, temaki e o shimeji. Além disso, o visitante ainda pode conferir exposições de produtos das artes nipônicas. Entre ele, o shodô, a caligrafia originaria do Japão, também considerada uma forma de manifestação artística da Terra Sol Nascente.

Dia: 21 e 22 de agosto de 2015
Local: ANBG – Kaikan
Endereço: Avenida Planície s/nº – Conjunto Itatiaia (ao lado do Clube dos Bancários, próximo ao Campus Samambaia da UFG)
Cidade: Goiânia/GO
Ingressos: Antecipado: R$ 35 || Na portaR$ 40
Horário: 19h30m às 00h

Link do evento: FaceBook


sábado, 15 de agosto de 2015

Meu blog... meus sentimentos!



O quão egoísta é o amor?
Seria esse um execício do egocentrismo?
Quão egocêntrico é amar?!



"O amor é paciente e benigno, não arde em ciúmes; o amor não se ufana, não se ensoberbece; O amor não é rude nem egoísta, não se exaspera e não se ressente do mal. O amor não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade. Está sempre pronto para perdoar, crer, esperar e suportar o que vier. "

- TEU CU! 


Eu estou desistindo de te amar!

Desistindo pouco a pouco,
Pois, assim, quando tudo acabar...
o pouco que resta de ti representará menos de mim!







domingo, 9 de agosto de 2015

Parabéns PRIMÃO... foi lindo o casamento! Desejo a ti TODA FELICIDADE!



O AMOR é tão certeiro, 
mas por vezes muito confuso!

AMAR é sempre tão tranquilo,
mas as vezes tão conturbado!

NÃO SEI O QUE É AMAR...
muito menos o que é o AMOR!

SOFRER, CHORAR, SORRIR...
NUNCA DESISTIR!

Pois na vida está o AMOR...
é e isso que TODOS QUEREMOS!




Priscylla Veli Martinato (reflexão rápida)




terça-feira, 4 de agosto de 2015

Madrugada... meu inverno dentro de mim!



Dia 02.08.2015, 01:30 da manhã! Apesar do desenrolar do inverno as relações pessoais não prosperam e equiparam-se a “secura” trazida pelos ventos que preenchem essa estação do ano (de 21 de junho a 23 de setembro).
A facilidade trazida pelo mundo digital nos conforta cada vez mais. Ana rende-se a tal comodidade! Sente-se feliz em seu “cyber” mundo com seus “cybers friends”. Logo, acumula-os, com orgulho, em uma tela qualquer.
Felizmente a culpa do desprestígio que assola os relacionamentos interpessoais não é da internet, ou quiçá dos avanços tecnológicos. Tal culpa, incontestavelmente, deve ser imputada a Ana, pois ela jamais compreendeu que sua dezena de amigos, em uma rede qualquer, somente representa a ela uma dezena de míseros conhecidos.
“Tu não és, ainda para mim, senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, nós termos a necessidade um do outro. Será para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo.” (O Pequeno Princípe - Antoine de Saint-Exupéry)
Ana, não consegue quebrar a barreira que a transformaria em uma pessoa em única. Não entende porque restringir-se e prefere simplesmente prestigiar a quantidade. Talvez o tempo, ou a falta dele justifique a superficialidade destinada a pessoas. A verdade é que Ana se esconde dentro de si e prefere representar para o mundo uma figura diferente de como ela é.
Relações pessoais que carregam traços impessoais, ilusórios. Isto é, apesar do inverno, Ana não consegue se aproximar para dissipar o calor represado em seu corpo e prefere manter-se distante, inerte. Contudo, ela age, inocuamente, com toque da ponta de seus dedos em um vidro frio e incapaz de absorver – entender – a profundidade de um sentimento.

Logo, logo a primavera chegará, as flores se tornarão menos arredias! Contudo, apesar da beleza da flores, Ana continuará presa ao inverno que a afasta das pessoas.





Priscylla Veli Martinato